Cristo ou não Cristo?

Uma das grandes discussões de “Cinco ou seis ensaios…” foi se filmavámos ou não o Cristo Redentor, símbolo do Rio de Janeiro e eleito em 2007 como uma das maravilhas do mundo. Nossa diretora, Jane de Almeida, foi enfática: “Sem Cristo”, busca-se um olhar diferenciado, a experimentação.

Houve sim muita discussão e o indicativo de várias possibilidades, ângulos, situações. Dias e reuniões foram motivadas pela ausência pressentida. Até que Jane nos mostrou este trecho do filme “Ulysses Gaze” (To vlemma tou Odyssea), “Um olhar a cada dia”, em português, de Theo Angelopoulos, e a discussão acabou. Todos condordamos que este seria o melhor plano de filmagem.

Plano de fimagem privilegia câmera em movimento

O plano de filmagem e cronograma da produção começa a se definir. Talvez algumas alterações ainda aconteçam, mas devemos seguir o que abaixo está:

06/07 – Chegada equipe e do Keith – quarta-feira
07/07 – Checar e carregar equipamentos – quinta-feira
08/07 – Tavares Bastos + Mangueira – sexta-feira
09/07-  Porto – sábado
10/07 – Helicóptero + Barco – domingo
11/07 – Câmera car segunda-feira
12/07 – Desprodução – terça-feira
13/07 – Partida para Brasília ou retorno para São Paulo – quarta-feira

Arcos da Lapa - fotos da equipe de filmagem na pesquisa de locação.

Itinerário do dia 11/07, Câmera Car:

– Saara
– Lapa
– Santa Teresa
– Aterro
– Copacabana
– Ipanema
– Leblon
– São Conrado (Biruta)

Ensaio no barco: desafiador e instigante

Um dos ensaios dentre os cinco ou seis que podem ser quatro ou três, será com as câmeras em um barco. Para termos acesso às decolagens e aterrissagens do Aeroporto Santos Dumont somente assim, via mar, pois a burocracia da Infraero impede qualquer filmagem no horário de funcionamento do aeroporto fora das áreas comuns. E pista? Nem pensar! Como fazer 3D sem profundidade de campo?

Então a opção foi fazer via mar, de um barco. Aproveitaremos para filmar a Ponte Rio Niterói e o castelo da Ilha Fiscal, realizando o sonho de nosso produtor, assistente de câmera, fotógrafo, assistente de direção, magic man, Fábio Pestana.

Estabilizar as câmeras no barco será um desafio para a equipe, e também uma ótima oportunidade para se experimentar linguagens em altíssima resolução nas ondas do mar.

E nada como outro filme para inspirar…

Relato da pesquisa de locação do projeto Estereoensaios – Rio

por Alfredo Suppia

Nos dias19 a 21 de maio de 2011 parte da equipe do projeto Estereoensaios foi ao Rio de Janeiro para trabalhos de pesquisa de locação. Jane de Almeida (diretora), Caru Schwingel (produtora), Cícero Silva (pesquisador), Fábio Pestana (diretor de fotografia), XXXXXXX (câmera e edição), Alfredo Suppia (pesquisador), Pedro Carcereri (estagiário) e André Campos (estagiário)foram guiados pelos produtores Rodrigo Willon e Bruno Beauchamps, do Sibite.

Baseado em Copacabana, o grupo seguiu um roteiro que incluiu bairros e localidades como Santa Teresa, Lapa, Porto do Rio de Janeiro, Aeroporto Santos Dumont, Pão-de-Açúcar, Pedra da Gávea, São Conrado, Av. Niemeyer, Projac (estúdios da Rede Globo em Jacarepaguá), comunidades de Tavares Bastos e Rocinha e obras do metrô na Barra da Tijuca. Durante cerca de uma hora de sobrevôo do Rio de Janeiro em helicóptero, foram captadas imagens aéreas de marcos da cidade.

Embora não tenha sido visitada no período de pesquisa, a região do Saara, de intensa atividade comercial no centro do Rio de Janeiro, também está prevista no rol de locações do filme. Pretende-se instalar o rig com as duas câmeras Red Epic numa black box (caixa preta) a ser colocada no nível da rua, no sentido de captar com proximidade e relativa discrição a intensidade do movimento de veículos e transeuntes no centro do Rio de Janeiro.

Vista do Rio de Janeiro da casa de Bob Nadkarni. Foto de Bruno Pacheco (www.brunopacheco.com.br).

Destacaram-se como localidades de provável grande potencial estereográfico o Porto do Rio de Janeiro, a Pedra da Gávea e São Conrado (com a prática de vôo livre na região) e a comunidade de Tavares Bastos. Nesta última localidade, o albergue e casa noturna The Maze (O Labirinto), também residência de Bob Nadkarni, revelou-se uma grata surpresa, com a possibilidade de sua inclusão no rol de locações, dada sua arquitetura e vista panorâmica da zona sul do Rio de Janeiro. No The Maze foi gravado o clipe do rapper Snoppy Dogg, Beautiful. Britânico de nascença, mas brasileiro por vocação, Bob é filho de um pastor da igreja Anglicana e uma dramaturga. Estudou Belas Artes em Londres, trabalhou como escultor no filme 2011: uma Odisséia no Espaço (1968), de Stanley Kubrick, cameraman de guerra no Oriente Médio e correspondente da BBC TV no Brasil.

Publicado e editado por Caru Schwingel.

Pesquisa de locação no Rio de Janeiro

Lapa, década de 40. Foto Jean Mazon, do site MiniTrem.

Na próxima semana a equipe de filmagem estará no Rio de Janeiro para fazer a pesquisa de locação.

Concretudes paisagísticas:
Porto / barcos,
Bondinho / helicóptero = centro (prédios), Maracanã
Lapa – Bonde / Arcos
Metrô / Central do Brasil / Tatuzão / obras
Vendedores ambulantes (Saara)
Alguma favela?
Jóquei – cavalos na corrida de sábado
Carnaval (sábado?)
Noite em Santa Teresa…. (EBA!)
Barra – vôos
Esquinas, pessoas saindo da praia… botecos…
Aeroporto Santos Dumont

Pré-Roteiro de “Seis ensaios a procura de uma narrativa”

O filme mostrará a cidade de São Paulo, luzes, movimentos, imagens aéreas. A cidade será o tema do filme, construindo uma narrativa de ritmos sonoros e visuais. Acredita-se que esta narrativa é adequada a um projeto fílmico deste calibre porque será usado apenas um par de câmeras 4k, suportadas por um Rig devido ao custo do equipamento e à dificuldade de encontrar especialistas para captura e edição.

Desta forma, não será necessário captar som direto e poderá ser posteriormente produzido;  a tecnologia 4k é reconhecida pelo seu aspecto de ausência de foco principal e excesso de luminosidade conduzindo a uma escala de pixels homogênea.

Esta imagem se adequa ao gigantismo e aos detalhes;  este tipo de narrativa faz parte da tradição do cinema como O homem com a câmera,de Dziga Vertov (1929, http://www.youtube.com/watch?v=KytJFyMHZl0), Berlim, Sinfonia da cidade grande, de Walter Ruttmann (1927, http://www.youtube.com/watch?v=5ej84nN1WcE), São Paulo, Sinfonia da Metrópole, de Rodolfo Lustig e Adalberto Kemeni (1929, http://www.youtube.com/watch?v=UZo0mMuWp_E) e mais tarde o filme Baraka, de Ron Fricke (1992, http://www.youtube.com/watch?v=hdjUfR8CoLc&feature=related) quando retrata os escalonamentos gigantes; não serão necessários atores, podendo restringir as filmagens a três dias na cidade.

Agendada reunião via Skype para definição das locações

Com o pré-roteiro em mãos e a definição de que a filmagem será mesmo em São Paulo, tendo em vista a resposta de Brasília dada ontem pelo Secretário de Cultura, a reunião de hoje, 12 de abril, buscará definir as locações.

Na reunião de 25 de março, a primeira que ocorreu sobre este GT e o projeto do filme “Seis ensaios a procura de uma narrativa” algumas sugestões de locações foram feitas:

– Cidade à noite / – Dança / – Jogo de Futebol / – Congestionamentos / – Marginal Pinheiros / – Terraço Itália / – Imagem aérea / – Avião pousando / – Feiras do Anhembi / – Pacaembu / – Favela.