Impressões sobre a tecnologia de captura de imagens
Eduardo Rabin, primeiro assistente de câmera, Leonardo Maestrelli, segundo assistente de câmera e Jane de Almeida, coordenadora do projeto EstereoEnsaios, dialogam sobre as novas câmeras de captura de imagens em tecnologia 5K, no caso a câmera Red Epic, lançada no final de 2010.

Anúncios

Tecnologia utilizada na pesquisa de locação – Rio

Por Alfredo Suppia

Para a pesquisa de locações foram utilizadas uma câmera HDSLR Canon 7D, uma GoPro Hero, uma Samsung modelo HMX-H100N e duas câmeras Drift HD170, todas com capacidade de resolução Full HD (1080p). XXXXX preparou equipamento de captação 3D emparelhando as duas câmeras Drift num rig side-by-side improvisado. Inicialmente as Drift foram emparelhadas horizontalmente no rig.

Rig para estereografia com duas Drift

HD170, improvisado por XXXXX

Depois de analisar o resultado de algumas imagens, XXXX remontou o equipamento emparelhando verticalmente as Drift  no rig, com pequeno ajuste acentuando um pouco mais a convergência de eixo entre as duas câmeras, com o objetivo de aperfeiçoar o efeito de estereoscopia.

Foram feitas tomadas em 3D em praticamente todas as localidades visitadas, com destaque para o Pão-de-Açúcar, a Pedra da Gávea, São Conrado e a comunidade de Tavares Bastos. Tomadas aéreas de helicóptero também foram testadas em 3D. Dentre os pontos captados durante as tomadas aéreas estão o estádio Engenhão, a ponte Rio-Niterói e o Cristo Redentor. Dezenas de fotografias das locações foram providenciadas como documentação de apoio à pesquisa.

Corpo da câmera Red Epic 5K.

Duas câmeras Red Epic 5K dispostas em rig side-by-side (horizontal).

Rig de ombro da Red Epic com viewfinder, lentes e demais itens.

Terminada a jornada de pesquisa de locações, a equipe se reuniu no Clube Payssandú para rever novamente o material captado. XXXXX processou rapidamente as tomadas captadas pelo rig com duas Drift no software Final Cut de um MacBook Pro, gerando imagens tridimensionais anaglíficas. Com um par de óculos anaglíficos, a equipe avaliou imagens em 3D de vôos de Asa Delta e Parapente em São Conrado, da Ponte Rio-Niterói, do Cristo Redentor e da comunidade de Tavares Bastos. Os resultados demonstraram o potencial das futuras filmagens com equipamento profissional, servindo para a previsão de problemas e reajustes de produção e roteiro.

22 de maio de 2011

E a filmagem é adiada…

O estereógrafo Keith Collea

Para a tranquilidade da produção, a filmagem que deveria acontecer no final de maio foi adiada um mês. Nas negociações com o aluguel do equipamento nos Estados Unidos, Keith Collea, o estereógrafo estadunidense que desde o ano passado participa da captura das imagens do Projeto 4K3D, conseguiu um desconto mais que considerável nas câmeras Epics que serão usadas.

Teríamos que filmar com as  Reds, sendo que todos preferiam as Epics, mas o orçamento estava proibitivo. Então, Keith conseguiu que as Epics venham para o Brasil com o mesmo preço das Reds. Um feito!

Depois, a questão será a pós-produção, e o problema estará no colo de Dimi, que disse “Yes, we have time to edit and post production. Let’s rock with epics!!!!!” Anotado está!  🙂